Nós

Da leveza das belas tardes ao êxtase das madrugadas vívidas. Onde as realidades não bastam e as palavras não dizem. Ao contrário, entrelaçam-se para além do limite das horas. Subtraídos de tudo. Sussurrando semi-palavras, colhendo fragmentos... Num estado de puro esquecimento. Éramos a principal parte do todo. Éramos nada... Éramos sentimentos.

Da magia das tardes ao êxtase das madrugadas.
Realidades contemplam o que os verbos não exprimem.
Ao contrário, entrelaçam-se sobrepondo-se ao limite das horas.
Subtraídos de tudo,
Sussurrando semi-palavras… colhendo fragmentos
Num estado de puro esquecimento.
Éramos nada.
Éramos tudo!


  • Ricardo Cunha

Categorias:poesia

Marcado como:, , ,

2 respostas

Feedback, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s