Neivaldo Araújo: A Barca do Sol

a barca do solNa primeira metade da década de 1970, surgiu uma febre mundial de bandas de rock progressivo. No Brasil, também apareceram os primeiros grupos do gênero, como o conjunto A Barca do Sol. O grupo iniciou a carreira como banda de apoio do cantor fluminense Pery Reis. Em 1973, seus integrantes (a banda, sem o vocalista, Pery Reis) seguiu em carreira própria e no ano seguinte, lançou seu primeiro álbum, auto intitulado.

Em 1978, os integrantes de A Barca do Sol participam do LP Corra o Risco, que marcou a estréia da cantora Olivia Byington. O disco contém sucessos do grupo, como “Lady Jane“, “Fantasma da Ópera” e “Brilho da Noite” (posteriormente regravados pela cantora), além de canções inéditas que viriam a compor o novo disco do conjunto: “Cavalo Marinho” e “Jardim da Infância“. Em 1979, o grupo lançou o álbum Pirata. Em 1980, a banda fez uma participação especial na faixa “Mais Clara, Mais Crua“, do disco Anjo Vadio, de Olívia Byngton, vindo a dissolver-se em seguida. Apesar do fim da banda em 1981, vários membros continuariam ativos.

a-barca-do-sol-2Entre eles, Nando Carneiro, que em sua carreira solo gravou os álbuns Violão (lançado na Europa em 1991), Mantra Brasil e Topázio. Participou da gravação dos discos O Balão e a Vida, Sementes no ar e Passional, da atriz Beth Goulart, com quem foi casado, e em parceria com John Neschling compôs a trilha sonora do filme O Beijo da Mulher Aranha.

O poeta e roteirista mineiro Geraldo Carneiro, irmão de Nando, participou do grupo compondo várias canções, e seguiu sua carreira letrista buscando novos parceiros. Como roteirista, um dos seus trabalhos mais conhecidos é a adaptação da minissérie O Sorriso do Lagarto, exibida por uma grande Rede de TV em 1991, baseada no romance homônimo de João Ubaldo Ribeiro.

A Barca do Sol, Uma aula de criatividade - Música 1976-12Egberto Gismonti, que também chegou a tocar com o grupo A Barca do Sol, se tornaria um dos mais respeitados artistas de música instrumental, porém a dificuldade em encontrar gravadoras para seu estilo o levou a procurar refúgio em selos europeus, pelos quais lançou vários álbuns pelas décadas seguintes. É de sua autoria com Geraldo Carneiro a canção “Mais Clara, Mais Crua” gravada por Olivia Byngton, cuja versão instrumental gravada por Egberto ganhou o título Palhaço, tornando-se uma das músicas mais conhecidas do seu repertorio.

Outro grande nome da música instrumental brasileira oriundo da banda A Barca do Sol, foi Jaques Morelenbaum. Vindo de uma família de músicos, é filho do maestro Henrique Morelenbaum e da professora de piano Sarah Morelenbaum, irmão de Lucia, clarinetista da Orquestra Sinfônica Brasileira, e de Eduardo, maestro, arranjador e instrumentista, e casado com a cantora Paula Morelenbaum.

Como violoncelista, arranjador, maestro e produtor musical atuou ao lado de Tom Jobim e Caetano Veloso. Como arranjador, atuou em trabalhos de artistas internacionais, como o grupo Madredeus, a cantora portuguesa Dulce Pontes, o compositor norte-americano David Byrne e a cabo-verdiana Cesária Évora, entre outros.


Por Neivaldo Araújo

Revisão: Emanuela Fontenele.

Feedback, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s