Maria João Pires: refinamento estilístico aprofundamento nas complexidades musicais

maria joao pires2Considerada uma das maiores intérpretes de Mozart, a pianista portuguesa Maria-João Pires é uma artista que combina requintado refinamento estilístico com um esforço prático para aprofundar as complexidades intelectuais e a profundidades da música. Recusando-se a se conformar com a imagem tradicional de uma virtuosa nas performances “ao vivo”, Maria enfatiza as dimensões espirituais da música, sempre procurando por significados ocultos que podem provocar ilusões no artista mais analítico. Esta notável reverência em relação às obras de música, claramente manifestada em suas performances de Mozart, foi explicitada por sua observação de que, como performer, ela atua como um canal para as idéias do compositor. Curiosamente, Maria vê tanto o compositor quanto o artista como canais para uma força musical transcendente. No entanto, ao abordar o trabalho da música com imensa admiração, Maria está consciente da sua estrutura formal, encontrando uma certa transparência nas construções formais mais intrincadas. Em suas performances para versões dos mestres românticos, em particular Chopin e Schumann, Maria concilia magistralmente sua experiência apaixonada da música com uma apreciação admirável pela lógica interna do trabalho que ela está interpretando. Refletindo sua vasta gama emocional, seu tom, – como os críticos observaram, – abrange uma variedade vertiginosa de intensidades, de uma leveza quase imperceptível a uma imponente monumentalidade, com uma rica escala de nuances intervenientes. Outra característica de seu estilo é a sua habilidade estranha de capturar, e transmitir, a variedade precisa de movimentos internos, que constitui o ser de uma criação musical particular.

maria joao piresArtist Portrait: Maria-João Pires começou na música aos três anos, dando sua primeira apresentação pública dois anos depois. Maria realizou concertos de Mozart quando tinha sete anos e recebeu o maior prêmio de Portugal para músicos aos nove. Estudou com Campos Coelho e Francine Benoit no Conservatório de Lisboa, graduando-se aos 16 anos. Estudos de pós-graduação a levaram para a Alemanha, onde estudou com Rösl Schmidt, em Munique e com Karl Engel, em Hanover. Em 1970, ganhou o Beethoven Bicentennial Competition em Bruxelas. Maria fez sua estréia em Londres em 1986, e ela tocou pela primeira vez em Nova York três anos depois. Ela atuou com as principais orquestras europeias e americanas, incluindo a Filarmônica de Berlim, a Sinfônica de Boston, a Filarmônica de Londres, a de Paris e a Concertgebouw. Muito elogiada por suas renderizações extraordinárias das obras de Mozart, Maria mostrou uma afinidade notável com vários dos maiores compositores, incluindo Bach, Chopin e Schubert. Uma artista de estúdio extremamente bem-sucedida, Maria, que desde 1989 registra exclusivamente o Deutsche Grammophon, lançou vários discos aclamados pela crítica, incluindo um disco de Bach, gravações de Nocturnes de Chopin e Impromptus de Schubert e uma gravação de dois concertos de Mozart com Claudio Abbado. Sua gravação das sonatas completas de Mozart recebeu o Grande Prêmio de Disque de 1990. Desde 1989, Maria tem sido uma entusiasta da música de câmara, viajando pela Europa e pelo Extremo Oriente com o violinista Augustin Dumay. Formando um trio com Dumay e o violoncelista Jian Wang, Pires visitou o Extremo Oriente em 1998, tocando o Concerto de Beethoven para piano, violino, violão e orquestra em vários centros europeus em 1999. Em 2000, Maria decidiu demorar vários meses para concentrar-se em uma variedade de projetos educacionais em Portugal. Várias coleções de suas apresentações, incluindo Artist Portrait: Maria-João Pires, apareceram no início dos anos 2000. Em 2005, ela estava gravando novamente, lançando um disco de duetos de Schubert com Ricardo Castro e, em 2008, um novo conjunto de dois discos da música de Chopin. Assista ao Doc e saiba mais:


Referências:

 

2 respostas

  1. A primeira vez que a ouvi fiquei muito emocionada. Eu ouvia a musicalidade da água de uma fonte pequenina que tinha em casa que se unia ao seu maravilhoso dedilhar no piano. Os primeiros sons preenchiam o silêncio, agigantando-se, como se libertasse o deus que habita a sua arte criadora. Arrepios só de comentar! ♩◕‿◕ ♪
    É uma artista maravilhosa!!
    Hoje celebre a vida e tudo que ela tem de melhor para oferecer. Bom sábado, charmoso e adorável pecador!
    Beijos de chocolate!!

    Curtir

Feedback, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s