Resenha – Bloodlust – Body Count

“Raça, classe social e violência urbana sob um ponto de vista muito pessoal”

Em 1992, quando os americanos no Body Count lançaram seu disco mais popular,  “Cop Killer, o RAP estava na moda. Auge dos bailes funk no Brasil, que movimentavam as periferias nos clubes espalhados pelos país. Ambiente no qual o RAP também predominava. Naquelas festas as principais atrações eram a “equipes de som” que colocavam “música eletrônica” para fazer a cabeça da juventude num momento de abertura econômica…

BODY-COUNTNa mesma ocasião, por volta dos 17/18, ensaiava meus primeiros “ficas”, mas as garotas eram bem cruéis então normalmente me sentia frustrado por “agarrar” quase ninguém. Foi mais ou menos nesse cenário que comecei a gostar de rock. Com pouca referência ao estilo mas, sob um forte sentimento de inadequação, fui sendo guiado pelos próprios instintos para a música pesada. Nesse sentido, o Body Count, como umas das primeiras bandas a misturar RAP com Metal, acabou servindo como uma influência direta para que viesse a assumir  meu gosto pelo rock pesado. Começava ali, a expurgar toda espécie de sentimentos de revolta e de inconformismo, pois a música dos caras funcionava como uma espécie de resgate do sentimento punk do final dos 70, que só fui experimentar de verdade, bem mais a frente.

Bloodlust_coverHoje, com Bloodlust tenho a oportunidade de reviver todo aquele vapor dos anos 90. Aliás, desde Cop Killer não ouço um som tão “puto” como esse. E o mais interessante é que, apesar da atualidade, os temas continuam absolutamente os mesmos. De acordo com as palavras de Ice-T, líder do grupo: “Este disco em particular imerge em elementos de raça, classe social e violência sob um ponto de vista muito pessoal. O disco conta com convidados especialíssimos como é o caso de Dave Mustaine participando em “Civil War“; Max Cavalera, em “All Love is Lost“; e Randy Blythe, do Lamb Of God, em “Walk With Me…”. Destaque também para os covers primorosos de Raining in Blood/Postmortem, do Slayer.

Tracklist:

01 – Civil War
02 – The Ski Mask Way
03 – This Is Why We Ride
04 – All Love Is Lost
05 – Raining in Blood / Postmortem 2017
06 – God, Please Believe Me
07 – Walk With Me…
08 – Here I Go Again
09 – No Lives Matter
10 – Bloodlust
11 – Black Hoodie

Nota 9.


Referências:

Feedback, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s