Death – Scream Bloody Gore

“Parte 2: o lendário álbum de estréia”

1987 Scream Bloody Gore04“…” Todos esses movimentos convergiram para estimular o jovem Chuck. Já sob a alcunha “Death”, os caras passaram os próximos anos aprendendo técnicas através de ensaios árduos e algumas apresentações ao vivo. Com muito trabalho e perseverança finalmente gravaram uma demo-tape intitulada “Mutilation“, que começou a receber críticas positivas no underground, convencendo rapidamente os especialistas do gênero na Bay Area (o selo Combat Records), a assinar com o grupo.

1987 Scream Bloody Gore05_Quando seus colegas de banda se recusaram a deixar a Flórida para gravar, Chuck simplesmente os deixou para trás (eles formariam o famigerado Massacre) e se mudou para San Francisco para se juntar ao baterista Chris Reifert (que mais tarde formaria o Autopsy) para gravar o lendário álbum de estréia, Scream Bloody Gore. John Hand, guitarrista (abaixo), foi creditado mas não tocou no álbum nem em performances ao vivo.

1987 Scream Bloody Gore03_Lançado em 1987, o LP é considerado o primeiro documento arquetípico do death metal. O clássico do Possessed, “Seven Churches”, pode tê-lo antecedido por quase dois anos, mas talvez ambos tenham sido trabalhos concorrentes de uma perspectiva de experimentação, e Scream Bloody Gore simplesmente aconteceu mais tarde. No entanto, enquanto Seven Churchs representava algo de uma transição não planejada entre thrash e death metal, Scream Bloody Gore definiu mais claramente a verdadeira essência do novo gênero pelo uso de vocais guturais. Com base nos termos mais básicos, esta transição envolveu simplesmente impulsionar a velocidade total do thrash metal e a execução feroz de forma totalmente anti-comercial adicionada de letras repulsivas e de vocais normalmente indecifráveis. Desnecessário dizer que este nível sem precedentes de ódio sonoro contou com a adesão tempestiva de milhares de inconformados no mundo todo.

O disco foi produzido pelo desconhecido Randy Burns, foi gravado no The Music Grinder, em Los Angeles. A arte da capa ficou por conta de Edward J. Repka.

Tracklist:
01-Infernal Death
02-Zombie Ritual
03-Denial Of Life
04-Sacrificial
05-Mutilation
06-Regurgitated Guts
07-Baptized In Blood
08-Torn To Pieces
09-Evil Dead
10-Scream Bloody Gore

Nota: 8.

Continua…


Referências:

2 respostas

    • Seja bem vinda Andrea. Fique ligada que escreverei sobre todos os discos na sequência de lançamento. Cada disco, um capítulo. Aguarde!

      Curtir

Feedback, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s