Diagnose – Banda retorna mais raivosa do que nunca

“Após anos de ausência, permanece um dos melhores do gênero”

Há 10 anos pesquisando temas relacionados ao rock/metal, poucas vezes tive dificuldade em conseguir material acerca das bandas e os estilos sobre os quais me debrucei. Não é este o caso! Depois de horas com os olhos pregados na tela do PC percebi que havia coletado bem poucas informações sobre a banda. Sem muitos referenciais e, apelando à própria memória, conclui um texto breve sobre uma das bandas que mais admiro na cena nacional:

Diagnose é uma banda de Crust/Grindcore formada na cidade de Fortaleza/Ce no ano de 1996. Havendo acumulado muitas histórias e, após um hiato de aproximadamente cinco anos, o grupo, atualmente formado por Jorge “Mata-Gato” (vocal), Alisson (bateria), Frank Carvalho (guitarra), e Dejane ((baixo) ex Baby Lizz, Discrasia, Dropped Out e Afronta), retornou este ano (2018) proclamando “mais raiva do que nunca”.

Até o ano de 2012, quando o grupo separou-se havia produzido uma quantidade de material muito relevante pra uma banda do gênero Crust e com pouco tempo de estrada. Entre demos, full-length e compilações, são diversos os registros em que a banda marcou presença. Entre os quais, podemos citar:

1998-Desordem Capital (demo-tape);
1999-Organicamente (demo-tape);
2000-Crust X Grind (Split CD);
2001-Colapso Vermelho (demo-tape);
2002-Attack Your Enemy (Split CD);
2003-Qual o discurso que mais te agrada? (demo-tape);
2006-Neurose XXI (Full-length);
2011-Fútil Rotina (Full-length).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Compondo suas músicas em função da língua materna, Diagnose – juntamente com Flagelo e outras poucas – é um dos pioneiros da cena fortalezense quanto ao fato de cantar em português. O som praticado pela banda é extremamente agressivo e a torna apta a figurar entre os grandes do estilo em nível global.

Quanto ao Crust, de uma forma geral, fica melhor situado como um modo de vida que orienta seus adeptos como uma comunidade independente e, de certa forma, alheia, aos padrões sócio-musicais. Enquanto estilo musical, os preceitos apregoados são levados muito à sério, resultando numa fusão altamente eficaz de peso, agressividade e velocidade. O aqui digo pode ser facilmente comprovado pela audição do material produzido pela banda que, hoje, pode ser encontrado no Youtube sem muito esforço. Inclusive, quem desejar saber mais, pode acessar AQUI, a matéria recentemente publicada.

Quanto à música da banda, os sons são sempre curtos, rápidos e diretos, lembrando os grandes momentos dos principais nomes do estilo. As letras, ideologicamente engajadas, são sempre ácidas e tratam de temas sociais e do cotidiano. Destaque para o frontman Mata-Gato, cujo domínio da própria voz permite-lhe realizar as vocalizações (berros, gritos e urros) ora viscerais, ora guturais.

Em tempo, passaram pela banda, nomes conhecidos na cena extrema alencarina como Gean (Vocais), Abraão (Baixo) Wilker Dangelo ((Bateria) Obskure, Facada), Eduardo (Guitarra) e Morreu (Baixo/Vocais).


4 respostas

  1. Valeu pelo apoio, é muito importante pras bandas e todo o cenário local.

    Só uma correção.. a formação atual da banda está a seguinte.

    Jorge Matagato – vocal
    Dejane – baixo
    Alissom – bateria
    Frank – guitarra

    Curtido por 1 pessoa

  2. Meu querido ficamos extremamente agradecidos pela gigantesca força e divulgação sobre o velho Diagnose! Sou Jorge Mata-Gato(Vocal) e gostaria apenas em ressaltar que a formação hoje conta com Frank Carvalho(Guitarra),Dejane(Baixo) e Alisson(Bateria).Forte abraço e mais uma vez o meu muito obrigado pela força e pelo belissimo trabalho feito.

    Curtido por 1 pessoa

Feedback, por favor!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s