Miserable – Sobre melancolia e força

Kristina Esfandiari (King Woman) é a mente por trás de Miserable.  A chama para gravar seu álbum foi acesa quando o seu disco rígido pegou fogo levando embora todo o trabalho de composição realizado previamente. Determinada, ela recomeçou do zero e preparou Loverboy, um EP de canções sobre melancolia e força. O fogo criativo, Miserable2-3alimentado pela solidão e pelos próprios traumas continua vivo. Nele, a artista mostra sua rebeldia ao mesmo tempo frágil e desdenhosa.

Kristina conta que suas primeiras experiências musicais se deram muito cedo quando a shows e sentia como se houvesse um algo como um palco dentro de si, alimentando o desejo de ser artista: “Eu costumava ser incrivelmente tímida, mas me sentia compelida a fazer isso. Então um amigo acabou comprando uma guitarra e me presenteou dizendo “você precisa de um palco”.” Entre suas principais influência estão nomes como Yves Tumor, Prince, James Brown, Frank Ocean, entre outros… 

Ainda sobre suas experiências iniciais, conta que a primeira música que escreveu foi feita numa guitarra quebrada: “A canção foi batizada de Mount Zion e eu achei que ela ficou realmente muito boa. No papel de Miserable ela afirma ter se tornado uma compositora mais didática. Embora conclua o raciocínio dizendo que: “… para mim, é Miserable3apenas uma das muitas maneiras de processar os meus traumas e isso ajuda no meu bem-estar mental. Manter-me ocupada é fundamental para minha saúde mental.

O EP Loverboy foi escrito numa breve passagem pelo Brooklyn (Nova York). Ela estava no avião voltando para NY quando bateu a inspiração: “Eu estava me sentindo extremamente solitária naquele período e o Brooklyn me proporcionou um isolamento que me forçou a cavar mais fundo do que de costume em minhas habilidades de composição. Foi uma temporada sombria”.

Gasoline, o atual single carrega uma aura pop (diferentemente do peso arrastado característico da música feita no King Woman. Para Kristina isso também é natural, visto que, como ela mesmo descreve: “Eu escrevo intuitivamente e isso é naturalmente o que veio à tona. Eu consideraria o Dog Days um EP pop. Eu amo pop e com certeza me vejo lançando muitos discos pop.

Por fim, para os fãs da artista, o EP “Loverboy” será, em breve, lançado juntamente com uma reedição do registro anterior, o EP Dog Days. Os interessados poderão adquiri-lo no endereço abaixo: 


Feedback é melhor do que like!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s